AF_GOV_Ad-Covid19_Agradecimento_468X060PX
banner-dibacenter
Basic RGB
logo aen
banner-caicara
[KAKOI]-Banner
<< >>

Celebrações marcam o lançamento da Campanha da Fraternidade Ecumênica

19 de fevereiro de 2021 em Geral - Comente

Cartaz da campanha que foi lançada na última quarta-feira em todo o país. Foto: DivulgaçãoFoi lançada nesta semana, na Quarta-feira de Cinzas, a Campanha da Fraternidade Ecumênica (CFE) de 2021, que ocorre durante o período da quaresma. “Fraternidade e Diálogo: compromisso de amor” é o tema da campanha deste ano, que tem ainda o lema “Cristo é a nossa paz: do que era dividido, fez uma unidade”, extraído da carta de São Paulo aos Efésios, capítulo 2, versículo 14. A CFE é realizada pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e pelo Conselho Nacional de Igrejas Cristãs (Conic).

Na abertura simbólica e virtual, o secretário-geral da CNBB, Dom Joel Portella Amado, disse que é triste ver que o tempo atual vem apresentando a marca das radicalizações, das polarizações, com o desrespeito às pessoas, em especial as mais simples, as mais fragilizadas. “Nosso tempo necessita que radicalizemos a fraternidade e a comunhão, a solidariedade e a partilha”, destacou. Ainda, em seu depoimento, Dom Joel afirmou que não se trata de querer que todos pensem do mesmo modo. “Trata-se, porém, de perceber que a diferença é convite ao encontro, encontro que se faz exatamente através do diálogo”, citou.

O assunto foi tratado também em celebrações religiosas na região. Em Piên, nas missas de Quarta-feira de Cinzas, o padre Thiago Zella Hoffmann ressaltou que o texto-base da campanha tem como propósito o respeito. “Cuidemos da nossa fé e respeitemos a caminhada de fé do outro. Somos convidados a caminhar na unidade, não sendo iguais. Nesta unidade existem diferenças, então respeitemo-nos mutuamente”, disse.

Realizada pela CNBB anualmente, a Campanha da Fraternidade de 2021 é realizada de forma ecumênica, o que ocorre em média a cada cinco anos. A iniciativa congrega diversas denominações cristãs, sempre de forma ecumênica, valorizando as riquezas em comum entre as igrejas.

Deixe seu comentário